Quinta-feira, 22 de Abril de 2010

 

Fomos inspirados pela grande obra.

 

 

FDUL

Prova escrita

Duração: 3 horas

 

 

 

"Após casar com Abelardo, Bruno, homossexual vertebrado, enceta negociações com Rex, animal vertebrado doméstico, para adquirir a este um apartamento em Lisboa, com vista a nele instalar o seu ninho de amor com o primeiro. Em homenagem ao seu parceiro, tem já bordado, num naperon, a inscrição "Abelar, doce Lar".

Rex, como muitos da sua espécie, para além de conseguir afocinhar nos seus próprios genitais, pratica abertamente a poligamia, sendo frequentemente visto no Chiado na companhia de Becas e Fanny, vertebradas domésticas com cio, entregando-se todos a um repugnante fetichismo por candeeiros de iluminação pública.

Bruno propõe a Rex o preço de 400.000 euros, respondendo este com dois latidos, que aquele interpreta como um assentimento.

No dia da escritura, Bruno é confrontado com o preço de 500.000 euros e tenciona recusar celebrar o contrato prometido, mas Abelardo lança-lhe um olhar suplicante, como só os homossexuais sabem, e Bruno nunca conseguiu resistir àqueles reluzentes olhos azuis, que um dia serão a sua perdição, conforme diz frequentemente em momentos que gosta de carregar com um dramatismo algo despropositado.

Vergado ao peso dos olhos de Abelardo, Bruno assina a escritura a entrega 500.000 euros a Rex, que se fazia acompanhar de Fanny, a qual se oferece para guardar o dinheiro, ao que Rex anui. Fanny, com o dinheiro nas patas, sai a correr pelas escadas de incêndio.

O notário, invertebrado selvagem e homossexual, rompe num pranto incompreensível para os demais, que afinal se deve à acumulada frustração do notariado, actividade que desenvolve contristado e afligido, já que sempre desejou ser Professor da Faculdade de Direito de Lisboa, objectivo que, apesar de perseguir anelante nos seus sonhos, lhe é negado precisamente por ser invertebrado selvagem e homossexual, já que a lei veda o acesso à profissão por parte de invertebrados.

Rex, que se viu subitamente sem dinheiro e sem casa, solta uivos lancinantes, que tocam fundo no coração de Abelardo, o qual sente de imediato os maiores arroubamentos do amor.

Numa Conservatória do Registo Civil, Abelardo divorcia-se  de Bruno e une-se a Rex, que não o ama mas se vem tornando emocionalmente dependente da cega dedicação de que é objecto.

Bruno vai habitar uma casa vazia, que em cada momento lhe faz sentir a opressão de estar só. No fundo da despensa, jaz um caixote fechado, com um molho de cartas envoltas num  naperon que jamais verá a luz do dia.

Becas e Fanny beijam-se, a caminho do Brasil, no porão de um Airbus, com coleiras Prada acabadas de comprar na Portela."

 

Com base nesta hipótese prática, responda, sucinta mas fundamentadamente, às seguintes questões.

 

a) Então as coisas não teriam corrido muito melhor se eles não fossem homossexuais?

 

b) Imagine que uma lei vinha proibir, para futuro, os negócios jurídicos entre animais vertebrados domésticos e pessoas, ou entre aqueles e homossexuais. Que argumentos encontraria para sustentar a inconstitucionalidade da mesma?

 

c) Qual é a melhor profissão: camionista ou decorador? Pense bem.



uma criação de French Guard às 21:50
link do post | comentar

8 comentários:
De quino a 23 de Abril de 2010 às 13:03
ahhhhhhhhh! Maravilhoso!


De Anónimo a 23 de Abril de 2010 às 15:29
muito bom. mesmo.
D.


De PSYKHE a 23 de Abril de 2010 às 20:20
ahahahahah


camionista ou decorador, camionista ou decorador, camoinista ou decorador....?? :P escolho este:


De Susa a 24 de Abril de 2010 às 16:58
Muito bom!


De Sãozinha a 25 de Abril de 2010 às 01:31
French Guard, genial!


De Cuca a 25 de Abril de 2010 às 12:30
Fantástico!!!
E a resposta à alínea c) é: decorador de camiões.


De O Maquinista a 3 de Maio de 2010 às 11:47
Delícia! Espectáculo!

Só hoje vi...


De anatostefagundes a 14 de Maio de 2010 às 16:36
HAHAHAHA
Muito bom!


Comentar post

Me, myself, the other guy and us
pesquisa
 
Pão duro
links
links
subscrever feeds